credit

Na prosa
o amor goza
desabrocha
feito rosa

Amor com Vinho

Para sempre não é para todos.
Arctic Monkeys.   (via m—yself)
Quer saber… que se ame!
Eu me chamo Antônio. (via autografia)
Deixa eu ser teu prato principal.

nevou:

Esqueça o almoço, o café e o jantar, deixa eu ser tua refeição diária, deguste-me de manhã, deguste-me à tarde, deguste-me à noite. Mon cher, me traga com a mesma intensidade que tragas o teu cigarro, que pões com tanta vontade entre esses teus lábios. Mon cher, me beba como bebes esse teu vinho. Deixa eu derreter em tua boca, da mesma forma que aquele teu sorvete derrete num dia de sol quente. Mastiga-me, marque-me com tua boca. Castigue-me, tire minha roupa. 


Júlia Ogaia. 

Delirium Drinks

nevou:

sabemos que o escritor é um bar. agora resta saber se você é um bar lotado ou vazio.

(diego moraes)

Não me dou muito bem com os meus sentimentos. Na verdade, acho que não sei lidar comigo mesmo.
Querido John. (via esclarecer)